AP.: Pripyat Park - Ucrânia

Não podemos nos demorar muito em nossa próxima parada, pois correremos sérios riscos se assim fizermos... Lá vamos nós. Escondido no coração de uma zona esquecida do globo encontra-se um pequeno parque de diversões à moda antiga.

Bem Vindo a Pripyat Park!


Como o próprio nome sugere, o parque de diversões de Pripyat situa-se na cidade de Pripyat, no norte da Ucrânia, perto da fronteira com a Bielorrússia. A cidade contava com uma população de cerca de 50.000 pessoas e era o lar de trabalhadores da usina nuclear de Chernobyl. Esse nome lhe parece familiar?
Pripyat

Exato: a famosa usina de Chernobyl, aquela mesma em que ocorreu um acidente nuclear em 26 de abril de 1986, liberando uma nuvem radioativa contaminando pessoas, animais e o meio ambiente de uma vasta extensão de terras. Devido a esse acidente, a região ao redor de Chernobyl está abandonada devido aos perigos da radiação. Não poderia ser diferente com Pripyat.

Estava planejado para o parque temático ser aberto em 1 de Maio de 1986, em tempo para as comemorações do Dia do Trabalho na cidade, mas o parque de Pripyat foi aberto apenas por algumas horas, no dia 27 de abril de 1986, afim de manter a população entretida antes do anúncio de evacuação da cidade após o acidente nuclear em Chernobyl no dia anterior fosse feito.

Você já se perguntou por que o famoso símbolo do parque de Pripyat é quase sempre sua roda-gigante? Bem, a resposta é simples: não há muito mais para ser visto. O parque de Pripyat quase não merece o título de “parque de diversões”, uma vez que não era uma “Disneyland”. Contava com apenas quatro atrações: a famosa roda-gigante, carrinhos de bate-bate, balanços e algo do tipo “chapéu-mexicano” (ou sei lá como isso se chama). Quando a cidade de Pripyat foi abandonada em 27 de abril, assim também foi o parque de diversões. Muitos afirmam que o parque nunca foi aberto, mas existem fotos que mostram filas de pessoas na frente das atrações. Hoje, vendo os simples brinquedos enferrujados, fica difícil de imaginar que era para ser uma atração para 50.000 pessoas.


Em vez de riso das crianças, o parque de diversões é silencioso, uma triste lembrança de sonhos e vidas despedaçados. A grande roda-gigante tornou-se um símbolo trágico do desastre. Reparem um pouco nas fotos que virão a seguir. É possível perceber em algumas delas a presença de brinquedos de pelúcia, pendurados, apodrecendo. Esses bichinhos foram deixados talvez pelas crianças da cidade mesmo, antes da fuga, mas alguns foram trazidos por visitantes e deixados no parque como uma espécie de memorial.
Outra curiosidade sobre o parque: é uma das áreas mais contaminadas pela radiação em Pripyat. Embora haja partes perfeitamente limpo, outras áreas ainda são altamente radioativas: enquanto as peças de concreto são principalmente seguras hoje em dia, a região coberta por musgo é altamente perigosa, devido à radiação que contaminou o solo. Ou seja, passar rapidamente pela região não irá prejudicá-lo de imediato, mas não pense em construir sua casa naquela região, okay? Fica a dica.
Parece o cenário perfeito para um filme de zumbi, mas Pripyat não está morta: está se renovando. A natureza está crescendo novamente, lentamente. A grama cresce entre as rachaduras nas praça, arbustos e árvores encontram onde fincar raízes no solo contaminado. Pode até levar milhares de anos antes que a área torne-se segura o suficiente para a habitação humana.  O parque de diversões e a cidade de Pripyat ganharam destaque não apenas devido ao acidente nuclear, mas também pelas reconstruções feitas em videogames, como é o caso de "STALKER: Shadow of Chernobyl" e "Call of Duty 4 : Modern Warfare".

As decorações festivas ainda permanecem perto das atrações abandonadas, para comemorar sua – nunca concretizada – abertura. A silenciosa roda-gigante tornou-se um ícone inquietante do desastre nuclear da humanidade, uma vaga lembrança que ainda hoje assombra a região.




Patchwork (ou qualquer coisa parecida...)

Ufa!, deu pra cansar dos passeios por parques abandonados? Mas isso ainda não acabou, estou apenas dando um tempinho... Enfim...

Já faz algum tempo desde que descobri a fabulosidade das artes manuais... Mas recentemente, o que eu mais gosto de fazer é uma coisa chamada "Patch aplique" (ou algo assim...). Além dos panos de pratos / toalhas, eu descobri que camisetas também ficam legais! *o*

Por essa razão, eu vou postar algumas fotos de algumas camisetas que eu fiz!

 Super-Lhama!!


Rosa de Lutero!


Totoro!



Pac-Man! (planta style)



Cachorrinhos! (Kipper, The Dog e Canídeo Aleatório, feitos para minha mãe)



E a minha mais recente:

Adventure Time!


AP.: Chippewa Lake, Ohio - EUA

Escondido em um lago no Condado de Medina encontra-se um dos tesouros esquecidos de Ohio: o parque de diversões Chippewa Lake. O que você vai encontrar lá hoje é o final trágico de uma outrora diversão em família, com uma história que remonta à década de 1870.

Bem Vindo a Chippewa Lake!


Em 1875, Edward Andrews organizou no local um pequeno parque, para piqueniques. O parque foi operado com algum sucesso. Com a adição de um barco a vapor e a primeira “montanha-russa”, o pequeno parque de diversões foi trazido à vida. Essa primeira montanha-russa era empurrada manualmente sobre os trilhos depois de cada passeio!

Mac Beach adquiriu Chippewa Lake em 1898, e melhorou o parque imensamente. Seu filho, Parker Beach, administrou o parque durante seus anos de crescimento. Durante essa década, a primeira montanha-russa moderna foi construída no parque, projetada por Fred Pearce, originalmente chamada de “Big Dipper” (tornou-se mais conhecida simplesmente como "a montanha-russa"). A família Praia manteve o parque funcionando com sucesso até 1960. Chippewa Lake possuía três montanhas-russas, cadeiras voadoras (tipo chapéu-mexicano), uma roda gigante, um carrossel, circuito de carrinho, salão de festas e muitas outras atrações.

Chippewa Lake foi adquirido pela Continental Business Enterprises em 1969. Os planos eram transformar o parque em um resort de verão, porém esses planos atraíram pouco interesse público e muito pouco financiamento. A maior parte do parque foi desmantelada.

O parque fechou em 1978, logo após o centenário da inauguração, devido a fatores como a concorrência de Cedar Point e Geauga (outros parques de diversões), além do declínio da produção de aço e borracha nas áreas próximas. Mal sabia o público que a centenária temporada do parque seria também sua última abertura.

Quando o parque foi fechado, o ex-proprietário Parker Beach solicitou à família que fosse enterrado lá quando morresse, o que foi aceito pela família. O local onde o corpo está enterrado no parque é desconhecido. No final de um documentário filmado em 2007 ("Welcome Back Riders"), disseram: “Seja respeitoso se você tentar encontrar o túmulo de Parker Beach. Deixe-o desfrutar de seu parque em paz.”.


Após o fechamento do parque, em 1978, o parque foi deixado praticamente intocado, com todas as atrações e edifícios ainda de pé, talvez na esperança de um dia reabrir o parque. Até o final da década de 1990, o parque permaneceu em bom estado e algumas atrações ainda utilizáveis. Pela década de 2000, no
entanto, grandes árvores começaram a crescer através das atrações (como é o caso da montanha-russa e da roda-gigante) e vários edifícios desabaram ou foram danificados pela exposição ao sol e à chuva. As estruturas do parque enferrujaram e apodreceram, sem qualquer esperança de reparos.

Em 2002, o parque sofreu um incêndio. Vários edifícios sofreram o destino do salão de baile, incluindo o hotel, o fliperama, a casa de diversão e a casa de manutenção. Em 2008, 30 anos após o fechamento do parque, o terreno foi oferecido para venda, com um preço inicial de US $ 3.500.000, e foi vendido!

Em setembro de 2008, Chippewa Partners LLC anunciou planos de construir um hotel e spa, centro de fitness, restaurantes, um centro de conferências e música, lojas e outros locais de entretenimento no local do parque. Estruturas do local, árvores e destroços começaram a ser removidas. Em junho de 2010, metade da montanha foi derrubada, assim como a lanchonete e outra montanha-russa. Como em abril de 2012, os planos para o local foram impedidos por uma ação judicial, o terreno foi abandonado e folhagem começou a recuperar o parque novamente.


Atualmente (sim, 2013!), a Roda Gigante, Flying Cages, Tumble Bug, Little Dipper, Train track, e a montanha-russa Wild Mouse estão ainda de pé, junto com os restos do salão de festas e de outras estruturas. 

Compre seus ingressos e vamos explorar!





 








About Me

Minha foto
Marina
Uma garota aparentemente "normal", que curte anime e mangá, e gosta muito de desenhar, ler e ouvir música. Uma garota apaixonada pela vida. Se alguém quiser saber mais, basta perguntar. Minhas páginas na Web: http://marilpatinha.deviantart.com/ http://llamastic.tumblr.com/
Visualizar meu perfil completo
Tecnologia do Blogger.